Mazzaropi

Já estava mais do que na hora de falar deste ícone, Amácio Mazzaropi, que em matéria de humor, se tornou a maior referência brasileira, pela sua ousadia, coragem, inteligência e dedicação.

Temos que aplaudir de pé, alguém com tamanha genialidade, que já passou pelo teatro, rádio, televisão e cinema, principalmente cinema… Mesmo sem grandes recursos, Mazzaropi foi capaz de realizar mais de 30 filmes, onde ele escrevia, atuava, dirigia, filmava, enfim, era o famoso “pau pra toda obra”, rs..

No vídeo abaixo, sua participação no programa da Hebe, divertindo a platéia, sem “fazer força”, rs.. apenas com seu jeito sereno e cativante de ser, divirta-se e depois clique na foto, para conhecer a sua história.

Mazzaropi

Ator, diretor, comediante e cineasta

***

ASSISTA OUTROS VÍDEOS

Coisas de Homem

Confira já este texto de Rafael Furlan, um amigo de grande talento, que transforma em textos, situações inusitadas de seu cotidiano, mas sempre termina com uma grande lição de vida.

Ele que já trabalhou como projetista mecânico, hoje passa suas mensagens através de seu blog e redes sociais. Vale muito à pena ler, rs…

Rafael Furlan

Comediante e Blogueiro

***

Bom dia pessoal, eu tive uma experiência recentemente que, meio que marcou minha vida, então pensei, porque não comentar um pouco.

Bom, para começar, lembrando um pouco do meu histórico pessoal, eu sou bailarino.
Sim, eu faço ballet, ensaio com aquelas roupas estranhas, coladas e tudo mais. Já adianto que a pior de todas elas é uma coisa chamada ‘Suporte’, usado para dar suporte ao órgão reprodutor masculino durante a dança e os ensaios, ele tem o formato de uma saqueira na frente e o formato de um fio cheiroso atrás.
Sim é isso mesmo, bem incômodo.
Vai, dá risada da vida alheia.
Agora uma coisa bem peculiar que aconteceu comigo, quando eu comecei a fazer ballet, foi uma conversa que tive com meu pai. Na época eu ainda morava com ele.
Estava eu no meu lugar, lavando louça após o jantar, quando discretamente ele senta-se na mesa, começa a observar-me, meus gestos, minha postura, então ele me pergunta.
“Baixinho, (sim, ele ainda me chama de baixinho e é legal pois ele é mais baixo que eu uns 20 centímetros) Quais são suas intenções dançando ballet?”
Agora refletindo, meu pai me conhece desde que nasci, foi ele quem me educou, criou, me ensinou muita coisa e o fato de ter começado a fazer ballet injetou uma dúvida enorme em sua cabeça a ponto de acreditar que eu tendia ao homossexualismo.
“Pai, eu continuo sendo homem e hétero.”
A resposta dele foi um “Ufa!” tão aliviado, mas tudo bem, hoje eu dou muitas risadas a respeito deste dia.
O interessante é que nas igrejas, o fato de um homem fazer ballet, não é bem visto agora pensa no seguinte.
Salmo 150, versículo 4
“Louvai-o com tamborim e com danças.”
Será que este versículo é só para as mulheres ou para todos?
Pois a Bíblia é exata, precisa, não deixa margens para dúvidas.
A partir do momento que há uma dúvida ou um anexo à Bíblia é coisa do homem.
Mais precisamente, do inimigo para criarem sentimentos errados no homem, neste caso o preconceito.
Então o preconceito é semeado, o mal é semeado, pessoas saem machucadas, magoadas e abrem-se os espaços para o inimigo trabalhar na vida dela.
Então, vamos parar de preconceito ou vamos continuar agindo em prol do inimigo, eu prefiro seguir à Bíblia e a palavra de Deus.
E você?

Putz Grill

Oscar Filho é ator, humorista stand up, escritor e repórter do programa CQC, já participou de vários programas de TV, diversos shows e festivais de humor como Risorama, Risadaria, Terça Insana, Nunca se Sábado e tantos outros.

Estreou seu show solo, chamado “Putz Grill” em junho de 2008. Já em grupo, participa do Clube da Comédia Stand up com apresentações constantes em São Paulo.

Jô Soares – No motel

José Eugênio Soares, além de ser, um dos mais conhecidos apresentadores de TV dos últimos tempos (no estilo, entrevistas), é também ator, diretor, humorista e escritor. Seus livros mais conhecidos são: “O Homem que Matou Getúlio Vargas” e “Assassinatos na Academia Brasileira de Letras”.

Na televisão começou em 1967 em “Família Trapo”, participou de vários outros programas, mas seu grande sucesso surgiu mesmo em “Viva o Gordo” (seu primeiro programa solo em 1981). Hoje, como muitos sabem, apresenta o “Programa do Jô” pela Rede Globo de Televisão e pela CBN.

“Nunca faça graça de graça. Você é humorista, não político.”

Jô Soares

Apresentador de TV

***

“Quando me casei pela primeira vez a uns bons 25 anos atrás, minha primeira mulher me achava um tesão, descasei depois de 21 anos e me juntei com outra mulher e essa já me achava um pesão!

Daí estive refletindo e há certas coisas que me incomodam… Algumas ocasiões são realmente muito desagradáveis na vida de um gordo. Ir a um motel, com toda certeza, é uma delas. Tudo em um motel parece que foi projetado minuciosamente para sacanear com a cara dos obesos.

Reparem só.

Na grande maioria desses estabelecimentos é preciso subir uma escadaria para chegar ao quarto. Isso não se faz. Ou o gordo trepa ou sobe escada. As duas coisas no mesmo dia são impraticáveis.

O gordo chega tão esgotado no quarto que parece até que já deu duas no caminho. A parceira, então, propõe uma hidromassagem para relaxar. O que, na verdade, quer dizer:

‘Por que você não vai tomar banho, seu gordo sebento?’.

Já na banheira, o gordo percebe que nem a água quer ficar com ele. Metade cai fora, preferindo manter uma relação mais íntima com o chão do banheiro. Dá um friozinho na barriga, até porque parte da barriga, como um iceberg, fica pra fora da espuma.

Mas é na saída do banho que a situação fica ainda mais ridícula. Chega o fatídico momento de colocar o roupão, é triste, com algum esforço o cinto até fecha, mas o roupão não. Fica aquele decote tipo Luma de Oliveira, que dá pra ver até o umbigo. Só que no lugar da Luma está o Jô, saca? É constrangedor.

Quando o gordo finalmente chega ao quarto, a situação consegue ficar ainda pior. Se um elefante incomoda muita gente, dez elefantes de roupão refletidos nos espelhos incomodam muito mais. Para que tanto espelho? Se o próprio gordo já fica mal, imagina a parceira cercada  pela manada? Se eu fosse ela, não dava mais de comer aos animais.

Mas de todos os espelhos o mais cruel, sem dúvida, é o do teto. A vista é estarrecedora. Dá até para entender por que a maioria das mulheres transa com os olhos fechados.
Acho que a única utilidade de tantos espelhos é prá gente conseguir ver o pinto que a barriga não deixa a gente ver há muitos anos. Já faço até xixi no piloto automático.

Eu, como sou um gordo experiente, uso uma tática infalível: ligo o ar-condicionado no máximo para forçar o uso do lençol. Afinal, o que os olhos não vêem…”

 

Stand up Comedy – Show de Eddie Murphy

Você certamente conhece esta figura. Um dos maiores comediantes de Hollywood, que já no início de sua carreira (1983), foi premiado com um Grammy. No cinema, teve grande sucesso com os filmes “Um tira da pesada” e “Um príncipe em Nova York”, na década de 80′. Já nos anos seguintes, se destacou com “O Professor Aloprado”, “Dr. Dolittle”, “A creche do papai”, entre outros. Como dublador, se fez presente no filme: “Shrek” assumindo a voz do burro.

Como muitos atores norte-americanos (da comédia), iniciou sua carreira nos palcos de bares e teatros, através do gênero “Stand up Comedy”. Assista o vídeo abaixo (legendado), numa destas suas apresentações, onde cativa o público falando do relacionamento entre homem e mulher, mas principalmente, das formas diferentes de traição entre eles, rs…