O que não foi para a Revista

Recentemente postei na categoria “Entrevistas”, matéria à meu respeito que saiu na Revista Educando, no Japão, pelo colunista e editor Antonio Carlos Bordin. Deixo agora, na íntegra o que me foi questionado pessoal!

***

1.Nome completo, idade, onde mora e que disciplinas ensina e em que escola.
LUIZ GUSTAVO GUIMARÃES, 26 anos, moro na cidade de Carapicuiba, estado de SP.
Com relação às disciplinas, aqui responderei sobre as mais recentes, ok? Que são: GESTÃO EM RECURSOS HUMANOS e PROCESSOS GERENCIAIS, pela Faculdade Cidade São Paulo (UNICID) no Pólo de Estudos COLÉGIO DESAFIO.
 
2.Há quantos anos é professor? Vc se formou em alguma faculdade para ser professor ? Como você se sente quando dá aulas?
Professor há 4 anos.
Sou formado em Administração de Empresas, mas antes de começar a dar aulas e treinamentos, fiz uma série de cursos, como teatro, oratória, programação neuro-linguística, etc…
Enquanto cursava a faculdade e trabalhava na área administrativa, comecei a ver treinamentos, aulas e palestras de “outra forma”, comecei então a me interessar pela área, pois também queria fazer parte “do crescimento das pessoas”. Hoje ao ministrar minhas aulas, sinto uma realização profissional, sinto que realmente faço aquilo que gosto e que tenho conseguido, mesmo indiretamente, cooperar para um melhor desempenho profissional das pessoas que têm aula comigo.

3.Li uns depoimentos no seu blog e a galera curte muito suas aulas. Que truques vc usa para ensinar: humor, mágica, imitações?
Antonio, de fato, uso “vários truques” para “encantar a platéia”, rs… Muitas vezes para “quebrar o gelo” e deixar a aula mais produtiva, procuro trabalhar com dinâmicas, mágicas, humor (contando histórias engraçadas do dia-a-dia, como faço nas apresentações de stand up comedy), além de memorizar o nome de todos o quanto antes, ter carisma, respeito e sempre manter o foco. Mas é claro que para cada turma, é preciso uma nova estratégia.

4.Técnica de memorização através de desenhos? Como é isso?
É uma técnica chamada MAPA MENTAL, onde trabalhamos com um maior equilíbrio entre os dois hemisférios cerebrais, ou seja, usamos o lado racional para anotar as novas informações, aquilo que devemos aprender e também o lado emocional/ criativo do cérebro, onde procuramos trocar “palavras” por “desenhos/ imagens” que facilitam demais o nosso aprendizado, uma vez que este Mapa Mental é uma ferramenta “particular”, isto é, não preciso me preocupar com o que as pessoas vão pensar destas minhas anotações, pois o mesmo tem que funcionar para mim… Por exemplo, ao invés de escrever a seguinte informação: “chegar em casa e responder o e-mail do Antonio”, posso desenhar na minha agenda uma “casinha” e a palavra Antonio ao lado. Ficará muito mais fácil guardar esta informação, mas é claro, que é um “pequeno exemplo”, pois para explicar exatamente como funciona, levaríamos bem mais tempo.

5.Que tipos de situações estranhas (ou engraçadas) vc como professor já viveu?
Poxa, algumas situações peculiares, eu diria, rs… Mas falarei apenas de duas…
Tenho a mania de ser um “pouco diferente”, de fugir das “regras” algumas vezes, rs.. Num exercício em sala de aula, onde eu falava de Atitude e Coragem, subi numa cadeira e desafiei os alunos a fazerem o mesmo, dizendo que em certos momentos temos que assumir riscos, pois tinha feito outras vezes e o resultado foi bacana, os alunos ficaram motivados, alegres mas é claro que ninguém saía contando o exercício, só que neste dia a janela da sala estava aberta, uma pessoa da coordenação viu e falou para a minha chefe… O que quase “custou” o meu emprego… rs…
Numa outra situação, infelizmente cheguei atrasado numa palestra que iria ministrar, entrando na sala, já me apresentei e pedi desculpas à turma, pois tive um imprevisto, quase todos entenderam, a exceção foi uma senhorinha que ficou brava, ela falou “brincando” (ironizando) que eu tinha que ser mais pontual e não contente com isso, levantou do seu lugar e foi puxar minha orelha, rs.. Todos riram, inclusive eu, é claro, rs.. Mas confesso que até hoje não entendi a reação dela, rs…

6.Você acha que tem sido para seus alunos aquele professor que vc sempre quis ter?
Creio que esta foi a pergunta mais difícil de todas, rs.. Sendo bem sincero, não sei! rs.. Eu me cobro muito, então em certos momentos, imagno ter “deixado a desejar”, mas me conforto ao saber que no geral, tenho me esforçado cada vez mais, adquirido melhores resultados. Claro que em muitas vezes sinto orgulho de determinadas aulas, saio vibrando com as conquistas dos alunos e minhas também, olho “para trás” e me sinto realizado por tantas conquistas. Mas não sei se posso definir que “sou o professor que sempre quis ter”, até porque tive bons professores na vida, infelizmente poucos, se comparados com todos que tive; e com estes bons professores, aprendi muita coisa, cada um deixando a sua marca, cada um cativando de uma forma, o que procuro fazer é “pegar” o melhor de cada um deles, não só dos “professores de sala de aula”, como também dos “professores da vida”…
O que posso garantir é que “sou o professor que me propuz a ser HOJE”, mas para “AMANHÔ ainda preciso aprender muito.

Muito obrigado pela oportunidade Antonio e que DEUS te abençoe!

Anúncios